#poesia, #slide

Ainda há tanto de você aqui.

3 de julho de 2018

Foto tirada com iPhone 8 Plus e ditada no VSCO.

estou aqui no intervalo do tempo – 
o instante inquieto onde a saudade faz moradia.
eu me reviro, me descuido e tropeço 
nas fotografias, nas cartas de amor amassadas.
num relembrar e um recomeço.
me despeço das canções que dediquei,
dos laços enamorados, das alterações de voz quando fazíamos amor.
eles me disseram que a 
saudade vem com a distância;
só que ainda há tanto de você aqui…
e mesmo assim meu coração crepita
a cada instante que o relógio provoca as mesmas investidas
românticas fracassadas.
passeio pela rua e a cada vitral vejo seus olhos;
sua forma estúpida de dizer meu nome quando estava irritado
me soa como um gatuno a saltar de um telhado a outro.
talvez o vento, a tempestade
tem auxiliado essa tarefa de saudar você
e suas marcas, seus vestígios – os sinais que você deixou
beirando-me à loucura.
essa avalanche contagiosa de amor
sempre reservou para você uma fuga invisível enquanto eu
suspirava pelo mundo.
a cada anagrama de nós um turbilhão de saudade,
de cores, de laços, de beijos, de tudo aquilo que eu reclamei
em silêncio sobre as ausências que rodopiavam sobre nós.
agora me resta mergulhar na insanidade de máscaras sentimentais
perdidas na baderna em meu peito.
e a saudade grita
e eu não sossego.

Gostou? Compartilhe!

You Might Also Like

No Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.